STRATOVARIUS: METAL 4 ALL ENTREVISTA VOCALISTA

terça-feira, junho 11, 2013
Sentar-se frente a frente com Timo Kotipelto para tratar de questões sensíveis não é um desafio fácil. Deve ter muito tato para tratar de questões como, principalmente, a saúde de Tolkki e as dificuldades que o Stratovarius tem passado nos últimos anos. Talvez com outra pessoa não teria sido possível investigar esses problemas sem que pareçam sujos, mas Kotipelto, com a sua habitual calma e educação, fez desta entrevista complicada algo fácil e até agradável. Com idéias claras sobre Stratovarius, Timo nos mostrou uma banda totalmente reabilitada e confessa estar melhor do que nunca.

Metal4All: O que significa esse cd na história do Stratovarius?

Timo Kotipelto: Oh, é um novo capítulo, um novo começo. Anote o nome do álbum: "Stratovarius". Muitas vezes, os grupos dão paraseu primeiro álbum o nome da banda. No Stratovarius tem havido muitas mudanças e colocamos esse título como todas essas bandas, como se estivéssemos começando do zero. É simbólico, um novo capítulo. Temos um novo baixista também e tudo vai ser muito melhor.

M4A: Para alguns fãs esse álbum soa mais comercial. Vocês fizeram assim para conquistar o mercado americano, talvez?

T.K.: Não tem nada a ver com isso. Quando Tolkki compôs as músicas, ele não estava em boas condições de saúde, você sabe, naquela época ele estava muito deprimido. Nessas ocasiões, a última coisa que se pensa é que as músicas tem que soar de uma determinada maneira. Para nós era importante para ver se seriamos capaz de fazer um álbum e nos mantermos juntos.

M4A: Me surgiu a pergunta: o que aconteceu dentro da banda afetou as vendas do seu trabalho para melhor ou para pior?

T.K.: É claro, têm afetado, e para pior. Tolkki quase destruiu completamente a banda. Pensar nisso não ajudou muito pois ele fez as coisas que ele fez ... Eu acho que com essa turnê não estamos convencendo muitos fãs que estamos avançando, vamos ter sorte tantos fãs quanto nas outras turnês. Mas nós estamos fazendo isso porque queremos, não por dinheiro ou qualquer coisa do gênero. Queremos mostrar que ainda estamos aqui.

M4A: Qual é a razão principal, a mais óbvia que fez com que o Stratovarius tivesse essa má sorte nos últimos anos?

T.K.: Em sua maior parte a doença Timo Tolkki. Não só afetou a banda, mas também feriu seus amigos, sua família, e principalmente a si mesmo. Mas agora temos evitado o problema e tentamos ajudá-lo. Se você fizer alguma coisa errada e eu não sei que você tem um problema, você provavelmente vai dizer: "mas o que diabos você está fazendo, seu idiota", e iriamos brigar, mas se sabemos que você não está bem, é diferente. Ele está ciente que sua doença não tem limites e muitas coisas mudaram dentro banda. Por exemplo, Timo não é o único tomador de decisão. No entanto, continua a produzir, compor e tudo isso ... Na verdade, não é o primeiro músico que tem uma doença mental, tiveram muitos antes e eles eram grandes gênios.

M4A: Os títulos das músicas têm a ver com a história do Stratovarius ...

T.K.: Exato. Timo escreveu a maioria das letras das canções, eu só fiz duas desta vez. Quando ele estava tão doente que queria remover de sua cabeça todos os seus pensamentos negativos, então as letras não são muito positivas. A última canção, "United", é pela banda, mas também pelos fãs. Como se estivéssemos todos unidos. Quando tocamos ao vivo essa música nunca é do Stratovarius, é de 50% para nós e 50% das pessoas.

M4A: Há um que fala de Hitler. Por que você tem interesse nele?

T.K.: Não foi a coisa banda, mas Timo. Mas eu vou te dizer a verdadeira intenção por trás: A canção é sobre um personagem histórico mesmo morto parece vivo e que as pessoas não se esqueçam o que aconteceu há quase 70 anos. Nós deveríamos ter aprendido com o exemplo do Holocausto nazista, que nenhum homem pode ter tanto poder sobre as pessoas. Estamos vendo agora com esse cara, o presidente dos Estados Unidos. Ele pode fazer o que quiser, pode matar todas as pessoas que der na cabeça e nada vai acontecer. É estúpido porque as pessoas não fazem nada, não se movem. Nós nos queixamos muito sobre o que aconteceu há muito tempo, como era horrível e não fazemos nada quando vemos nos dias de hoje, diante dos nossos olhos. Acima disso é a canção que devemos aprender com o passado ...

M4A: Lembro-me em um ponto no drama do Stratovarius, Timo Tolkki verificou se Jens, Jörg e você queria ficar. Jens optou por ficar, apesar de tudo, mas não você. Por que você escolheu essa opção em vez de insistir como Jens fez?

T.K.: Tem a ver com a nossa personalidade, que são muito diferentes. Jens ... Eu não vou dizer que é louco, vamos dizer que ele vive de uma forma mais estranha. Temos gênios totalmente opostos. Jörg e eu temos formas muito parecidas de pensar, que nós não gostamos de nos cobrir com mais merda do que o necessário, mas Jens é muito diferente, ele não se preocupa muito com nada nesta vida. E é claro que foi por causa Jörg e eu não concordavamos com as loucuras que Timo pensava. Isso facilitou a nossa marcha.

M4A: Eu acho que você não tem muito boas recordações da Espanha depois que o festival em Granada, em que agrediram Tolkki. Existe algum receio com o desempenho de hoje?

T.K.: Nós tocamos em Murcia e Barcelona e a resposta tem sido muito boa, então não temos nada a temer. Os fãs espanhóis sempre nos apoiaram tanto, temos encontrado muito carinho cada vez que estivemos aqui. O de Granada... você vê, algumas pessoas que são doentes da cabeça e algumas pessoas não, tocamos para os últimos. Simples assim.

M4A: Eu gostaria de perguntar sobre Miss K, que me desperta muita curiosidade. O que aconteceu com ela depois de tudo?

T.K.: Ouvi que Timo prometeu produzir seu álbum. Eu sei que tinha algumas músicas.

M4A: Chegasse a conhecer ela?

T.K.: Não, na verdade não. Escutei alguma demo sua, mas nada mais.

M4A: E eram boas?

T.K.: Sem comentários.

M4A: Ok, próxima pergunta (risos). Você não teme que todo o inferno que viveram possa se repetir?

T.K.: Claro que pode. Muitas depressões nunca cicatrizam, eles estão sempre lá, só às vezes é melhor e às vezes pior. Felizmente sabemos os sintomas, tanto ele como nós, sabemos o que pode acontecer e o que fazer em caso de uma recaída. Não é como uma febre, que você toma uma aspirina e ela vai embora, a pior coisa sobre isso é que está sempre lá. De qualquer forma nem tudo são coisas negativas, porque acreditamos que sem que a doença ele não tinha feito tantas músicas boas no passado. Não é uma bênção, mas não podemos ver tudo preto. Agora também ele está indo muito bem, e nós tentamos o ajudar de todas as maneiras possíveis. Especialmente nessa turnê eu estou vendo o grupo muito melhor. Temos um novo baixista que se encaixa perfeitamente com o Stratovarius. As coisas estão se mostrando fácil.

M4A: Justamente agora ia te perguntar sobre o Lauri...

T.K.: Lauri é um dos meus melhores amigos, e nós tocamos juntos em minha turnê solo. Para mim é o melhor baixista na Europa. Ele é inteligente, toca do jazz ao funk ... é muito bom. Jari também é muito bom, é claro.

M4A: O que aconteceu com ele?

T.K.: Tem mais uma nova banda, mas não quer fazer uma turnê. Ele casou-se há dois anos e gosta muito estar em casa, você sabe como essas coisas de amor ... (risos)

M4A: Última pergunta: podes nos atualizar sobre seu trabalho solo?

T.K.: Eu estive compondo para algumas músicas, eu tenho oito ou dez listas, mas não fiz letras nem tenho feito qualquer ensaio com nenhum músicos ainda. Talvez em 2006 comece a gravar alguma coisa, mas isso depende do que acontecer com o próximo álbum do Stratovarius. Temos alguns planos para escrever e gravar outro álbum. Depois disso, vamos ver. De qualquer forma, eu queria fazer algo diferente e espero que eu possa ter os mesmos músicos da última vez. Eu tenho muita sorte, porque todos eles são muito bons, mas eles também têm outros projetos. Espero que o próximo pareçamos mais como uma banda, quero apresentá-los como membros da banda, e não como artistas convidados. Eu também queria sair em turnê com eles, porque como eu disse ao Lauri ontem, é melhor quando você não vai de artista principal. Você tem tempo para tocar e, em seguida, tomar um banho, tomar uma cerveja e ver o resto dos concertos. Então fizemos a turnê com esses caras tão bons... Epica!

M4A: Bem, não há mais perguntas, obrigada Timo.

T.K.: De verdade?

M4A: De verdade, te deixo em paz

T.K.: Você não quer falar de política, ou computadores com Jens ...

M4A: Eu acho que é hora de fazer a foto de sempre. Muito obrigado por tudo, senhor, e boa sorte nessa segunda fase.

Tradução: Marina Cruzeiro

Fonte: Metal 4 All

COMPARTILHE!

Site dedicado ao Stratovarius

Relacionados

Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »